Um País se faz com Homens e Livros

Em 18 de abril de 1882 nasce uma das figuras mais importantes na memória da literatura nacional: Monteiro Lobato!

Nascido em Taubaté, interior de São Paulo, filho de José Bento Marcondes Lobato e Olímpia Monteiro Lobato. Foi alfabetizado em casa pela mãe, por isso sempre mostrou gosto pela leitura e desde muito cedo apresentou características marcantes em sua personalidade, indicando que não seria uma figura a passar despercebida pela sociedade. Como de fato não foi.

Aos 13 anos Monteiro foi estudar em São Paulo no Instituto de Ciências e Letras, em seguida ingressou na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco e se formou em 1904. Após a formatura, ele passou a atuar no cargo de Promotoria Pública em Areias, no Vale do Paraíba, e paralelamente escrevia para vários jornais, revistas, além de criar desenhos e caricaturas. Finalmente no ano de 1911 retornou para sua cidade natal onde construiu sua carreira literária.

Em 1918 Monteiro Lobato publica seu primeiro livro, intitulado como “Urupês” onde dá vida a um de seus personagens mais famosos: o caboclo Jeca Tatu. Que se trata de uma figura representativa da miséria e atraso econômico do país naquela época, fazendo duras críticas ao descaso com o “Brasil rural”.

Mas sem dúvidas nenhuma, a obra com maior destaque que associamos ao grande escritor e editor é o “Sítio do Pica-Pau-Amarelo”. Essa narrativa iniciou-se devido ao sucesso da publicação do livro “Narizinho Arrebitado”, quando Monteiro prolongou as aventuras da personagem em um contexto mais amplo, publicando livros sobre os demais personagens e todos girando em torno do Sítio.

Seu gênero de destaque era o de “contos”. Sempre voltados ao público infantil, mas com grandes reflexões metafóricas por trás, além de trazer uma linguagem coloquial e acessível que despertava e desperta até hoje o interesse nas crianças, jovens e adultos.

Considerado o maior escritor infantil do Brasil e da América Latina, Monteiro Lobato permanece na memória mesmo após sua morte em 5 de junho de 1948. Taubaté aloca um espaço de homenagem a ele com o nome de “Sítio do Pica-Pau-Amarelo”, onde ocorrem apresentações com os personagens da história, salas de curiosidade, mini “museus” com objetos de época etc. além de estátuas e memoriais espalhados em diversos espaços públicos. 

Se quiser conhecer um pouco mais de suas obras, trouxemos alguns títulos interessantes para incluir na sua listinha de leitura anual:

- Urupês, 1918;

- Negrinha, 1920;

- O Saci, 1921;

- Narizinho arrebitado, 1921;

- O Marquês de Rabicó, 1922;

- Reinações de Narizinho, 1931;

- Caçadas de Pedrinho, 1933;

- Emília no País da Gramática; 1934;

- Memórias de Emília, 1936;

- Histórias de Tia Nastácia, 1937;

- Serões de Dona Benta, 1937;

- O Pica-Pau-Amarelo, 1939.

Hoje comemoramos e homenageamos esse importante autor da literatura nacional infantil. Parabéns, Monteiro! E muito obrigado por todas as obras!