Dia Mundial da Educação: Você conhece essa história?

Graças ao Fórum Mundial de Educação de Dakar realizado no Senegal, no dia 28 de abril de 2000, comemoramos desde então essa data como o Dia Mundial da Educação. Apesar de não ser reconhecida como data oficial pela ONU, comemoramos o aniversário desse evento para refletirmos um pouco mais sobre os caminhos do aprendizado.

Na época foram traçados seis objetivos para serem cumpridos até 2015, seriam eles:

1- Expandir e melhorar o cuidado e a educação da criança pequena, especialmente para as crianças mais vulneráveis e em maior desvantagem;

2- Assegurar que todas as crianças, com ênfase especial nas meninas e crianças em circunstâncias difíceis, tenham acesso à educação primária, obrigatória, gratuita e de boa qualidade até o ano 2015;

3- Assegurar que as necessidades de aprendizagem de todos os jovens e adultos sejam atendidas pelo acesso equitativo à aprendizagem apropriada, a habilidades para a vida e a programas de formação para a cidadania;

4- Alcançar uma melhoria de 50% nos níveis de alfabetização de adultos até 2015, especialmente para as mulheres, e acesso equitativo à educação básica e continuada para todos os adultos;

5-  Eliminar disparidades de gênero na educação primária e secundária até 2005 e alcançar a igualdade de gênero na educação até 2015, com enfoque na garantia ao acesso e o desempenho pleno e equitativo de meninas na educação básica de boa qualidade;

6-  Melhorar todos os aspectos da qualidade da educação e assegurar excelência para todos, de forma a garantir a todos resultados reconhecidos e mensuráveis, especialmente na alfabetização, matemática e habilidades essenciais à vida.

(Tais objetivos constam na Declaração Oficial de Dakar, para consulta:  http://www.direitoshumanos.usp.br/index.php/Direito-a-Educa%C3%A7%C3%A3o/declaracao-de-dakar.html)

E seria a partir dessas metas que os países assinantes do documento deveriam pautar a gestão no que diz respeito a educação.

Apesar de os objetivos não serem plenamente alcançados, o número de crianças e adolescentes fora da escola reduziu consideravelmente. Mas ainda existe um longo caminho a ser percorrido para que todos tenham a educação garantida.

Um dos principais fatores de retardamento é a falta de investimento. O ensino melhorou -e muito- para os mais abastados. Porém, aqueles menos favorecidos continuam recebendo uma atenção muito menor e uma qualidade inferior. Afinal, sem o investimento governamental correto e necessário, a educação pública é comprometida.

Em 2015 após a análise dos resultados do Fórum de Dakar, foi instituído uma continuidade desse compromisso, realizado em Seul, na Coreia.  O novo documento estende o prazo para cumprimento dos objetivos para 2030, sendo o Brasil um dos países assinantes, concordando com os demais participantes em investir de 4% a 6% do PIB na educação.

Portanto, tomemos essa data como momento de reflexão e análise da situação educacional no nosso país. Estamos caminhando na direção correta? Estamos cumprindo os objetivos traçados? Aproveitemos, também, para agradecer aos educadores de todo o mundo: principais responsáveis pela difusão do conhecimento para todos.