Benefícios da música no aprendizado

Desde o nosso nascimento somos expostos a sons e ritmos ao nosso redor. Ruídos, vozes, o nosso próprio choro e canções de ninar que nossos pais entoam na intenção de nos fazer dormir. Por que, então, a música é deixada de lado dentro do ambiente próprio para aprender?

Primeiro de tudo, é preciso entender que a música não substitui a educação, ela complementa e potencializa. Com ela ampliamos nossas capacidades psíquicas e desenvolvemos habilidades mentais, como associação lógica e aprimoramento nos cálculos matemáticos sem auxílio de calculadoras etc.

Dentre os principais benefícios trazidos pela música no ensino podemos elencar: a concentração mais aguçada, o aumento significativo da criatividade nos pequenos, amplificação da memória (quem nunca decorou fórmulas matemáticas ou letra do alfabeto com música?!), desenvolvimento da fala e escrita, coordenação motora melhorada, além da inserção de bagagem cultural na criança. Ufa!

A Lei N° 11.769, de 18 de agosto de 2008 altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação, para dispor sobre a obrigatoriedade do ensino da música na educação brasileira. Devido aos efeitos comprovados por psicólogos a respeito da musicalidade sobre os pequenos.  A professora da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Aurilene Guerra, mestre em neuropsicologia, afirma: “a música tem finalidade de ampliar e facilitar a aprendizagem do aluno, ela favorece muito o desenvolvimento cognitivo e sensitivo, envolvendo o aluno de tal forma que ele realmente cristalize na memória uma situação.”

O uso de atividades cantadas nas escolas de ensino infantil é uma técnica de abordagem e “quebra de gelo” no meio social. Por meio de canções elas se comunicam e criam familiaridade com o ambiente. Além disso, a música traz uma sensibilidade perspicaz para o aluno, que amplia seu gosto e desenvolve possíveis talentos.

Contar com o auxílio de instrumentos musicais é ideal para desenvolver a compreensão do ritmo e espaço de tempo, principalmente quando se trata de instrumentos de percussão. A flauta doce, também considerada bastante importante, é inserida logo no ensino fundamental, devido seu fácil manuseio e compreensão, para despertar na turma a curiosidade a respeito dos acordes melódicos.

Bem como os professores são orientados a ensinarem música, os pais também são aconselhados a desfrutarem desse recurso. Não só as canções de ninar, mas também outras melodias que expandam o conhecimento musical dos filhos são indicadas. O importante é garantir que eles tenham acesso a uma das mais importantes ferramentas cognitivas que existe. Afinal, a música constrói, recupera, ensina e cura.